segunda-feira, 30 de abril de 2012

1ª MESA DO CONGRESSO NACIONAL DE ALIENAÇÃO PARENTAL: OS SUJEITOS DA ALIENAÇÃO PARENTAL









Após a cerimônia de abertura do I Congresso Nacional de Alienação Parenta, foi dado início aos debates com a Mesa denominada “Sujeitos da Alienação Parental”, onde estavam Allan Minas, Cineasta. Diretor e Roteirista do Documentário “A morte inventada” 2008-2009, Daniela Vitorino – Cineasta. Produtora do Documentário “A Morte Inventada”, Dr. Jorge Trindade - Presidente da Sociedade Brasileira de Psicologia Jurídica,  Dra. Sandra Maria Baccara Araújo – Doutora em Psicologia pela UnB, Dra. Claudia Gay Barbedo – Advogada e Professora da Uniritter/RS, e Dra. Andréia Calçada – Psicóloga do Rio de Janeiro.

Foi apresentada uma versão compactada, de aproximadamente 15 minutos do documentário “A Morte Inventada”, e ao seu término o Cineasta Allan Minas passou a tecer comentários sobre o filme, dizendo que o objetivo daquele trabalho era de que os profissionais envolvidos, de todas as áreas afins a criança e adolescente, tivessem a informação para ser repassada nas Universidades, para que pudessem e possam impulsionar os debates de forma mais ampla e profunda, ante a urgência do presente caso.
Daniela Vitorino afirmou que o filme quis identificar os danos causados ao alienado através de depoimentos de adultos que passaram por este problema na infância e na adolescência.

Dr. Jorge Trindade, estudioso do tema, afirmou que dentre muitos elegia como melhor conceito de alienação parental o seguinte: programar a criança para odiar sem motivo, um dos seus genitores, para que esta comece a desqualificá-lo.

Dra. Sandra Maria Baccara, trouxe a seguinte afirmação ““Nunca acreditem quando o filho disser que não ama um pai ou uma mãe”. Também disse que o alienador também sofre, pois acredita na história inventada e acredita estar protegendo o filho.

Dra. Claudia Gay Barbedo, trouxe uma visão analógica da lei de Alienação parental, estendendo-a ao Idoso.

Finalizando, a psicóloga Andréia Calçada ressaltou que o profissional da psicologia tem que ter muito cuidado com suas avaliações, pois podem ocasionar na vida dos familiares vítimas de alienação parental, através da visão distorcida dos fatos;

Nenhum comentário:

Postar um comentário