segunda-feira, 30 de abril de 2012

Palestra com Dr. Rodolfo Pamplona Filho – As relações parentais e a música brasileira





Dr. Rodolfo Pamplona Filho teceu considerações sobre as relações parentais como um todo, enfatizando a Alienação Parental, e mostrou como os temas estão presentes na Música Popular Brasileira.

Em sua magnífica palestra, na realidade um espetáculo, com canções e poemas, falou sobre a Descoberta da P(m)aternidade, também sobre as várias formas de ser ter filhos, biológicos e adotivos, dentre outros temas.

Recitou poemas de sua autoria como o que segue:

Amor de Pai
Rodolfo Pamplona Filho 

Quando eu soube que você viria,
sensação diferente foi a minha:
alegria de receber alguém que não conhecia,
mas conheceria como ninguém mais poderia 

As primeiras noites mal-dormidas...
Cólicas, febres e recusa à comida...
Fraldas, chupetas e mamadeira...
Cuidar disso não foi brincadeira... 

Confesso que senti ciúme do seio
Pois queria estar naquele meio:
Trocar sentimentos sem sequer falar...
Tocar o coração sem mais nada precisar... 

Ler histórias para dormir no maior breu...
Colocar nos ombros para ver “como cresceu”
Ver um sorriso que ilumina o ambiente
E uma risada que alegra toda a gente 

Assistir o mesmo filme 50 vezes...
Explicar a mesma coisa por meses...
Cantar a mesma canção para acalmar...
Replay’s de cenas no aprendizado de amar... 

Ver aquele pingo de gente crescer
Descobrir novo ser, sem do antigo esquecer...
(R)Encontrar alguém que o conhece desde que nasceu...
E que não mais aceita todo conselho seu... 

- não faço isso por mal, mas para poupar
que sofra da mesma forma que eu, ao sonhar...
Esqueço que filhos também têm o direito de tentar
cometer novos erros ou os mesmos, para meu frustrar...  

Mas, mesmo assim, quando a saudade aperta,
Ainda que a volta ao lar seja realmente incerta
Quero dizer que os pais nunca ficam sós,
Se for possível ouvir, de longe, a sua voz... 

A minha torcida pela sua vitória
A construção conjunta de uma história...
A minha alegria pela sua felicidade
Amor de pai não tem idade..." 

Um comentário:

  1. Muito bonito, o sentimento e a relação parental.
    Vem de Deus, inesqucível condão,
    Que permite o reencontro,
    No portal da reencarnção"

    Olvanir Marques

    ResponderExcluir